AMIGDALITE » O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos!

AMIGDALITE
Escrito por Kayo Dutra

A amigdalite é um problema muito comum, que pode afetar todas as idades. Trata-se de uma condição propagada de maneira fácil, apesar de normalmente ser resolvida sem maiores complicações, seus sintomas na maioria dos casos são muito desconfortáveis e alguns casos severos podem aparecer, incluindo complicações futuras.

Por essa razão, ao aparecer qualquer sintoma, um médico deve ser procurado, não só no caso de amigdalite, como em outros problemas de saúde. Neste texto, você conhecerá mais sobre esse problema de saúde, seus sintomas, formas de tratamento e os tipos.

O que é a amigdalite?

A amigdalite refere-se a um processo inflamatório, originado por bactérias ou vírus.  Essa inflamação acomete as amígdalas, que são gânglios localizados na área traseira da garganta. A função desses órgãos é basicamente a proteção da garganta, contra agentes nocivos à saúde, por exemplo, vírus e bactérias, sendo assim fundamentais para o sistema de defesa do organismo.

Quais são as principais diferenças?

Chamada também de amidalite, as principais distinções que a forma de contágio da doença pode ocorrer é que a de origem viral, geralmente afeta mais as crianças, já a de origem bacteriana, habitualmente causada por estafilococos e estreptococos, acometem mais os jovens e os adultos. Além disso, como será visto adiante, alguns sintomas e áreas afetadas também apresentam divergências entre a causada por vírus e a bacteriana.

Quais os sintomas?

Ao suspeitar dos sintomas, é possível ir ao otorrinolaringologista ou um clínico geral. Habitualmente para o diagnóstico realizado no consultório, podem ser necessários exames laboratoriais ou de imagem, seja para melhor identificação e descartar outras possibilidades.

A dor de garganta é um dos sintomas mais característicos da amidalite, porém, como ela também pode ser um sintoma de outros problemas, como gripes, é importante ficar atento e procurar um médico, para que dessa forma, receba o tratamento adequado para o seu caso. No entanto, existem outros sinais que acompanham o problema, tais como:

  • Falta de apetite;
  • Febre;
  • Rouquidão;
  • Mau hálito;
  • Tosse seca;
  • Vermelhidão na garganta;
  • Inchaço;
  • Dificuldade para engolir.

A diferença que aparece entre os sintomas, é que na amidalite bacteriana podem surgir placas de pus.

Existe tratamento?

Apesar de ser considerado muitas vezes um problema corriqueiro, a amigdalite não pode, em hipótese alguma, ficar sem o tratamento adequado, independentemente da sua causa. Afinal, principalmente no caso de uma infecção bacteriana, se não ocorrer o tratamento ou ele for inadequado, a condição pode evoluir para algo mais grave, por exemplo, as febres reumáticas ou futuras complicações cardíacas.

No caso da amigdalite viral, o problema comumente afeta a área da orofaringe. Nessas situações, o tratamento indicado pelo médico, pode incluir o uso de anti-inflamatórios e também analgésicos.

Já em situações em que a condição é de origem bacteriana, para tratar as placas de pus que atingem a orofaringe, o uso de antibióticos específicos pode ser indicado. Não é recomendado suspender de forma repentina a medicação, pois a bactéria ainda pode estar ativa no organismo, ou seja, seguir as recomendações médicas é fundamental.

Amigdalite crônica

Essa é uma forma recorrente da amigdalite, que pode resultar até mesmo em um processo cirúrgico para retirar as amígdalas. Os sintomas podem ser mais fortes e persistentes, por isso, é importante contar com um acompanhamento médico especializado para identificar a persistência do problema e se a cirurgia de fato é necessária.

Quais as causas?

A queda da imunidade também pode ser um dos fatores que deixam as pessoas mais propensas a desenvolverem essa condição. Além disso, o refluxo gastroesofágico pode ser uma das razões para as amigdalites recorrentes, pois o conteúdo ácido pode tornar a região da laringe mais favorável para a proliferação bacteriana.

Ainda mais, como dito nos tópicos anteriores, existem duas possíveis causas para os quadros de amidalite, as bactérias, ocorrendo por pneumococos e estreptococos, e os vírus, geralmente por adenovírus e citomegalovírus. Conhecer as formas de prevenção, que serão apresentadas a seguir, é essencial para evitar essas causas e ficar longe desse problema tão incômodo.

Como se prevenir?

Geralmente, as formas de propagação envolve o contato com pessoas ou objetos contaminados. Por exemplo, gotículas originadas de espirro ou tosse e saliva, por meio de beijos ou objetos pessoais compartilhados, como copos e talheres.

Apesar de a amigdalite ser um problema causado por vírus e bactérias, existem algumas formas de prevenção que contribuem para afastá-la de sua vida. Confira a seguir quais são as principais:

Evite o cigarro: acredita-se que fumantes ativos desenvolvam de maneira mais fácil inflamações nas amídalas;

Cuidado com o ar-condicionado: apesar de ser um aparelho adorado por muitos, é importante ter cuidado com o ar-condicionado, pois pode resultar no ressecamento das mucosas e diminuição da resistência das amídalas;

Higiene: como é uma doença contagiosa, uma forma importante de prevenção é adotar hábitos de higienização das mãos e usar álcool em gel. Além disso, outra ação essencial, é evitar partilhar objetos pessoais com indivíduos que estão contaminados.

Recomendações

Cuidados individuais podem ser indicados pelo médico, alguns são específicos e singulares, mas de forma geral, existem algumas ações que geralmente são recomendadas para aliviar os sintomas, principalmente a dor e a sensação de coceira que pode surgir na garganta.

Algumas dessas indicações, envolvem ficar de repouso, beber bastante líquido, evitar agentes irritantes como o ar-condicionado e poeira. Além disso, fazer gargarejos com água e sal, pode ser uma maneira de amenizar o desconforto e a sensação de coceira. Você pode falar sobre essas dicas com seu médico e pedir outras para ter uma recuperação mais confortável!

Este artigo foi útil?

Algumas pessoas podem confundir os sintomas da amigdalite com outros problemas, como simples dores de gargantas ou resfriados. No entanto, se ater aos sintomas e sempre buscar a recomendação médica, é uma forma importante de receber um diagnóstico o mais cedo possível. Afinal, a amigdalite é um problema que pode ser severo, se estabelecendo de forma crônica.

Você já teve um dos sintomas? Conhece alguém que já teve essa desconfortável condição? Ao suspeitar dos sintomas, não deixe de ir em um clínico geral ou em um otorrinolaringologista. Tem dúvidas? Aproveite para deixar nos comentários!

LINKS DE REFERÊNCIA

  1. Tua Saúde | Dr. Arthur Frazão
  2. BIAL | BIAL: Keeping life in mind
  3. SBP | Sociedade Brasileira de Pediatria
  4. ASBAI | Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia
  5. Fleury | Fleury Medicina e Saúde

Sobre o autor:

Kayo Dutra

Deixe seu comentário